sexta-feira, 15 de maio de 2009

Dos seis meses...

Não concorde comigo, amor. Não precisa concordar. Apenas seja você, lembra do que você sempre me fala? 'Tem que ser verdadeiro, não adianta ser uma coisa que não é, tem que falar a verdade, mesmo que seja difícil'. Porque juntos somos muito. Eu e você, desse nosso jeitinho bobo, somos grandes, meu caro. Eu e você, com nossas cores e maneiras distintas, nos completamos. Hoje não quero falar de como tudo começou, hoje não quero as mesmas palavras de sempre. Hoje, amor meu, só quero te lembrar que contigo vou até o fim...
(Prova disso é te aturar e amar por seis belíssimos meses dividindo cama/mesa/banho...)

Te quiero.

Sara,

***
Crédito da foto: Marco Gomes

4 comentários:

Erica Maria disse...

Querida adorei aqui, inclusive a postagem anterior que fala das coisas não ditas...

Estou te linkando e seguido viu?

Voltarei sempre!


Bjos em teu coração!!!

Anônimo disse...

Legal, belas palavras.

Quando leio seus textos chego quase a pensar que o amor é simples...

Sara disse...

Caro Anônimo,
O amor não é fácil, é fato!
Mas ninguém disse que seria...
E, mais do que isso, o amor não é impossível! ;)
Fique em paz, beijos!

Janaína S. disse...

Oww, que lindo.
Que venham mais e mais né?!
Sempre com gostinho de que ainda tem mais por vir!

O amor é tudo quando a gente resolve que ele tem de ser da forma que é, sem alterações! :D
Beeijo.